Sofia.procura.sofia


11/07/2014


Virtudes, Protágoras, Hesse e Futuro


Li recentemente um material sobre a virtude ensinável em Protágoras e achei muito interessante, principalmente o trecho onde um pouco da vida pregressa de Protágoras é contada, inclusive sobre seu passado de trabalhador braçal e a tutela de Demócrito. Achei incrível a disputa de Protágoras com seu aluno e confesso, duas raposas, hein? Platão critica duramente essa prática de Protágoras (que era comum afinal a retórica era quesito indispensável aos oradores na  ágora) e  talvez por isso implicasse tanto com ele,  indignado por essas armadilhas da lógica e da linguagem (perítropo) e pelo fato do abderita (aprendi no texto pois só conhecia a expressão "o estagirita" para referir-se à Aristóteles) disputar com ele, a atenção de Sócrates. Ciumento e possessivo, hein?rs
Creio piamente que a virtude pode ser ensinável assim como uma ciência. A complexidade é que aquele que a ensina precisa aliar discurso e exemplos para ser convincente e eficiente, ao passo que nas demais práticas, essa coerência não interfere no aprendizado. Me lembro que na Ética Nicomaquéica, Aristóteles fazia menção às virtudes inerentes e aderentes e ele mesmo recomendava, que se não nascemos virtuosos que pratiquemos a virtude de tal forma que ela passe a ser uma segunda natureza.  Você sabe que Nicômaco era seu pai e também era o nome de seu filho, e que a Ética à Nicômaco pode ser entendida como uma obra escrita de pai para filho contendo conselhos sobre como ser feliz ( a tal Eudaimonia aristotélica).
Quando à Eudaimonia, a felicidade interior que se alcança quando se contempla a vida plena na pólis (a vida do spoudaiós) e se encontra finalmente a Alethéa (verdade), creio que as pessoas do mundo atual se contentam com cada vez menos...e encontrei esse trecho de Hermann Hesse sobre como me sinto em relação ao futuro.

"Quanto mais envelhecia, quanto mais insípidas me pareciam as pequenas satisfações que a vida me dava, tanto mais claramente compreendia onde eu deveria procurar a fonte das alegrias da vida. Aprendi que ser amado não é nada, enquanto amar é tudo (...).

O dinheiro não era nada, o poder não era nada. Vi tanta gente que tinha dinheiro e poder, e mesmo assim era infeliz.

A beleza não era nada. Vi homens e mulheres belos, infelizes, apesar de sua beleza.

Também a saúde não contava tanto assim. Cada um tem a saúde que sente.

Havia doentes cheios de vontade de viver e havia sadios que definhavam angustiados pelo medo de sofrer.

A felicidade é amor, só isto. (e amor não é sexo, comentário meu)


Feliz é quem sabe amar. Feliz é quem pode amar muito.


Mas amar e desejar não é a mesma coisa.


O amor é o desejo que atingiu a sabedoria.


O amor não quer possuir.


O amor quer somente amar."

 

 

 

Hermann Hesse

Escrito por Sofia.procura às 17h57
[ ] [ envie esta mensagem ] [ ]

Perfil

Meu perfil
Grécia, Atenas, Mulher, Até dois anos, Greek, English, Política, Livros, Filosofia

Histórico